Urologia pediátrica em todas as idades! - Dra. Marilyse Fernandes

Urologia pediátrica em todas as idades!

Atualizado em
Por: CRM 92676 | RQE 21334

Bem-vindos ao nosso guia sobre Urologia Pediátrica! Este texto foi pensado para ajudar você, mamãe ou papai, a entender melhor algumas das condições urológicas que podem afetar crianças de diferentes idades, desde os recém-nascidos até os adolescentes. Vamos explorar os principais problemas urológicos, suas causas, e como são tratados, tudo de uma forma simples e acessível.

O que é Urologia Pediátrica?

A Uropediatria ou Urologia Pediátrica é uma área da medicina que se dedica ao diagnóstico e tratamento de problemas do trato urinário e genital em crianças. Isso inclui os rins, ureteres, bexiga e uretra, além dos órgãos genitais masculino e feminino. Os problemas urológicos em crianças são relativamente comuns e variam de condições leves a graves.

Este é um campo em constante evolução, com avanços significativos na detecção e tratamento precoce das condições. Nós, uropediatras, buscamos incansavelmente um melhor prognóstico para nossos pequenos pacientes.

Principais Problemas Urológicos em Diferentes Idades

Recém-nascidos e Lactentes (0 a 18 meses):

  • Hidronefrose antenatal: Uma condição onde há um inchaço nos rins devido ao acúmulo de urina, que pode ser detectada ainda durante a gravidez por meio de ultrassonografias, a partir da 12 semana de gestação. Estima-se que ocorra em 0.6 a 4.5% das gestações, sendo em 20 a 40% bilateral. 
  • Infecção do Trato Urinário (ITU): As ITUs são comuns, especialmente em meninas e meninos não circuncidados. Cerca de 7% das meninas e 3% dos meninos têm uma ITU até os 6 anos de idade.
  • Estenose da Junção Ureteropiélica (JUP): Uma obstrução na junção entre o ureter e a pelve renal que pode levar à hidronefrose e comprometer a função renal se não tratada. A prevalência é de aproximadamente 1 em cada 500 nascimentos.
  • Criptorquidia: Quando um ou ambos os testículos não descem para o escroto. Afeta aproximadamente 2-5% dos meninos nascidos a termo e 30% dos prematuros.
  • Hipospadia: Uma malformação onde a abertura da uretra está na parte inferior do pênis. Esta condição ocorre em cerca de 1 em cada 200 a 300 meninos.
  • Válvula de Uretra Posterior (VUP): Uma obstrução congênita da uretra que pode causar dificuldade para urinar e danos renais. É a causa mais comum de obstrução do trato urinário inferior em meninos, ocorrendo em 1 a cada 4000 a 8000 gestações.
  • Refluxo Vesicoureteral (RVU): É uma condição onde a urina flui de volta dos rins para a bexiga. Aproximadamente 1 a 2% das crianças têm VUR, que pode ser diagnosticado após infecções urinárias repetidas (UroToday) .
  • Remanescente do Úraco: Anomalia relacionada à persistência de uma estrutura embrionária na região umbilical e na parede superior da bexiga. A incidência é rara, mas pode causar complicações.
  • Síndrome de Prune-Belly: Uma condição rara caracterizada pela ausência parcial ou completa dos músculos abdominais, problemas urinários e criptorquidia. Requer acompanhamento especializado e multidisciplinar
  • Megaureter: Dilatação do ureter que pode causar problemas de drenagem urinária e infecções recorrentes.
  • Ureterocele: Uma malformação do ureter que pode causar obstrução e infecções do trato urinário.
  • Extrofia de Bexiga: Uma malformação congênita onde a bexiga está exposta fora do abdômen. Requer cirurgia para correção.
  • Duplicidade Ureteral: A presença de dois ureteres que drenam um rim, o que pode levar a infecções e obstruções.
  • Bexiga Neurogênica: Disfunção da bexiga devido a problemas neurológicos, comum em crianças com espinha bífida e outras condições.

Pré-escolares:

  • Hérnia inguinal: Uma condição onde uma parte do intestino projeta-se para fora através de um ponto fraco na parede abdominal, na região da virilha.  Esta condição é mais comum em meninos e sempre requer correção cirúrgica.
  • Fimose: A incapacidade de retrair a pele do pênis, chamada prepúcio, devido a um anel que impede ou dificulta a exteriorização da glande . É comum em meninos pequenos e muitas vezes resolve-se sem tratamento até  os 5-6 anos.
  • Pênis Embutido: Anomalia em que o pênis está escondido ou pode não ser visível externamente. A incidência é baixa, mas pode afetar a função sexual e auto estima da criança.
  • Hidrocele: Acúmulo de líquido no escroto. A incidência é variável, mas geralmente é benigna.
  • Infecção do Trato Urinário: Tratamento essencial para evitar complicações. 

Crianças maiores e adolescentes (6-14 anos):

  • Enurese (xixi na cama): Afeta cerca de 15-20% das crianças aos 5 anos de idade. É mais comum do que se imagina, geralmente melhora com o tempo, mas diversas vezes são necessárias algumas intervenções e medicações.
  • Pedra nos rins (urolitíase): Embora menos comum, o número de casos tem aumentado. Estima-se que a incidência seja de aproximadamente 59 casos por 100.000 crianças ao ano. Em 75 a 85% das crianças afetadas existe fator de risco de base.
  • Infecção do Trato Urinário (ITU): Continua a ser uma preocupação nesta faixa etária, com incidência significativa. A prevenção e o tratamento adequado são cruciais para evitar complicações.
  • Hiperatividade vesical: Caracterizada por uma necessidade frequente e urgente de urinar. Pode causar desconforto e impactar a qualidade de vida da criança.
  • Varicocele: A dilatação das veias dentro do escroto, que pode afetar a fertilidade futura se não tratada. É mais comum em adolescentes.
  • Tumores Testiculares: Embora raros, podem ocorrer em adolescentes e requerem atenção médica imediata para diagnóstico e tratamento.
  • Pênis Embutido: Uma condição onde o pênis está escondido sob a pele do abdômen ou escroto, geralmente resolvida com cirurgia.
  • Micropênis: Um pênis significativamente menor do que a média, que pode requerer tratamento hormonal ou cirúrgico dependendo da causa.
  • Incontinência Urinária: A incapacidade de controlar a urina, que pode ser causada por uma variedade de condições, incluindo bexiga neurogênica.

Lembre-se, se você notar qualquer sintoma ou tiver preocupações com a saúde urinária ou genital do seu filho, procurar um médico é o primeiro passo para garantir o bem-estar e a saúde da criança. Estamos aqui para ajudar e orientar você em cada etapa desse caminho.

Até a próxima!!


Dra. Marilyse Fernandes
Publicado por: Dra. Marilyse Fernandes - Cirurgia Pediátrica - CRM 92676 | RQE 21334
A Dra Marilyse Fernandes (CRM 92676 / RQE 21334) é médica especialista em cirurgia pediátrica e robótica, dedicada à urologia infantil com experiência em hidronefrose congênita, malformações genitais e disfunções miccionais. Formada pela Universidade Estadual de Londrina, Doutora em Ciências da Reabilitação pela Universidade de São Paulo (USP) e Pós Graduada em Cirurgia Robótica pelo Hospital Israelita Albert Einstein.
Leia também

Avaliações

Ana Camargo
Ana Camargo
08/09/2023
Minha filha de 5 anos não deixava de usar fralda, foram vários médicos até que em março/23 conheci por meio de indicação a dr Marilyse. Com sua experiência conseguiu diagnósticar a duplicidade no canal da urina, cirurgia feita em 31/07/23 e foi um sucesso. Gratidão pura a essa profissional e toda sua equipe, desde o primeiro atendimento com sua secretária Janaina. Obrigada a todos!
Reinaldo Ferreira
Reinaldo Ferreira
22/08/2023
Profissional extremamente competente cuidou do meu filho recém nascido de maneira excepcional. Desde o primeiro encontro se mostrou extremamente competente e nos passou tranquilidade em um momento muito delicado. A Dra. Marilyse não apenas demonstrou uma compreensão abrangente das necessidades médicas do meu filho, mas também se esforçou para explicar cada procedimento de maneira clara e tranquilizadora Em resumo, estou profundamente grato à Dra. Marilyse por sua excelência profissional e sem dúvidas nenhuma a indicaria
Silvio Fernandes Vera
Silvio Fernandes Vera
21/08/2023
Agradeço toda a atenção que sempre nos dispensou quando precisamos. Que Deus cuide sempre de você e lhe dê a saúde necessária para continuar a cuidar daqueles que mais precisam! Silvio, Selma e Rafael...
Gabriela Genaro
Gabriela Genaro
17/03/2023
Ótima profissional, muito competente e humana! Nos tratou com muito carinho e profissionalismo desde a 1° consulta. Nos passou total confiança! Fez a cirurgia do meu filho de apenas 10 meses e foi um sucesso.
Janaina Silva
Janaina Silva
14/03/2023
A Dra marilyse é sensacional, tira todas as nossas dúvidas em relação aos nossos pequenos, super atenciosa e educada. Nota 1000 em todos os quesitos, desde o atendimento na recepção até o pós consulta!!
daniele bergamaschi andreia
daniele bergamaschi andreia
07/02/2023
A Dra é maravilhosa 😍, a cirurgia do meu filho foi um sucesso.
karine caldas
karine caldas
02/02/2023
Gratidão a Dra. Marilyse! Muito atenciosa e cuidadosa com a criança e também com os pais.
Veronica Tirri
Veronica Tirri
01/12/2022
A Dra. MARYLISE foi um anjo enviado por Deus em nossas vidas! A Maysa em exame de rotina em 2021, foi encontrado um cálculo gigante no ureter Esquerdo do Rin, com uma Hidronefrose grau III importante. Necessitando de uma cirúrgia de Urgência. Foi prontamente indicada pelos colegas médicos mesmo não sendo da região da Dra. Foi indicada pela competência, especialização diferenciada e muita eficiência. Em menos de 1 semana a Dra. Atendeu prontamente e em menos de 45 dias a Maysa foi operada por Cirurgia ROBÓTICA por VÍDEO, recuperação incrível em pouquíssimos dias! Maysa quase não tem cicatrizes! A Dra. é uma fada maravilhosa! Serei grata eternamente! 🙏🙏🙏💗 Dia 29/11/2022 dia de visitar a melhor médica Urologista Pediátrica! 😍💗 A foto da cicatrização perfeita da minha pequena. Não posso deixar de mencionar a recepcionista Janaína, muito eficiente e responsável sempre! Gratidão sempre!
Mayara Oliveira Guilherme
Mayara Oliveira Guilherme
30/11/2022
Desde a primeira consulta eu fui muito bem atendida, nunca sai de uma consulta com dúvida. A cirurgia do meu filho foi um sucesso e eu tive todo apoio necessário durante todo o tratamento. A Dra. fez uma correção de hipospadia e ficou perfeito. Sou muito grata a Dra. Marilyse e a Janaína que sempre me atendeu muito bem principalmente no pós cirúrgico que demanda um maior acompanhamento.